Como a tecnologia dos drones pode auxiliar na redução da taxa de obesidade entre deficientes visuais?

banner

Entenda a importância da utilização dos drones na melhoria da condição de vida de pessoas portadoras de deficiência visual.

Certamente, após a leitura do título, você, leitor, está se perguntando como um drone pode auxiliar na redução da taxa de obesidade entre deficientes visuais. Esse questionamento ocorre principalmente porque nenhum dos fatores estão diretamente relacionados. Mas leia a matéria até o final e você entenderá o que três coisas tão distintas podem ter em comum.

Os veículos aéreos não tripulados (VANT), mais conhecidos como drones, são aeronaves que não necessitam de pilotos para movimentar-se. São controlados, portanto, por meio de controles eletrônicos ou pela tecnologia CLP (Controladores Lógicos Programáveis).

Até algum tempo atrás, eram utilizados para missões militares. No entanto, atualmente, além de ainda possuírem grande importância em diversos setores do mercado, tornaram-se objeto de desejo do consumidor final. Isto quer dizer que, hoje, os drones também são utilizados como hobbie.

drones

Protótipo criado pelo professor Eelker é muito semelhante a outros modelos de drones.

Agora, para facilitar o entendimento da matéria, retornaremos ao título para falar sobre a relação entre deficientes visuais e obesidade. Atualmente, um a cada três pessoas com perda parcial ou total de visão nos Estados Unidos enfrentam problemas de obesidade.

Pessoas que tem capacidade visual parcialmente ou totalmente reduzida acabam enfrentando muitas dificuldades para praticar atividades físicas, principalmente quando feitas ao ar livre. Esta falta de mobilidade acarreta no aumento do índice de obesidade em deficientes visuais.

Para solucionar o problema, o professor e líder da Human Plus Lab da UNR, Eelker Folmer, iniciou um estudo e concluiu que é possível atribuir mais uma finalidade aos drones. O projeto que, no início tinha o intuito de beneficiar atletas cegos permitindo que eles corram sem guia, hoje ganhou mais um objetivo: facilitar a prática de exercícios ao ar livre para deficientes visuais.

Preocupado com a integridade física dos deficientes, Eelker Folmer construiu um protótipo com duas câmeras – uma delas concentrada em um marcador da camisa do corredor, e outra, apontada para o chão visualizando linhas traçadas – e envolvido por espuma para evitar qualquer espécie de ferimento caso se choque contra alguém.

Este drone permanecerá a uma distância de 10 pés do indivíduo e ficará na altura dos olhos. Além disso, o aparelho contará com um sistema que aumenta e reduz a velocidade de acordo com o ritmo do corredor.

O objetivo é que, deficientes visuais possam se exercitar ao ar livre com autonomia, guiados pelo som emitido pelo drone. A ideia ainda precisa de mais testes e, possivelmente, ajustes. Após aprimoramento e disponibilização do recurso no mercado, tudo o que podemos imaginar é que teremos a oportunidade de vivenciar o que assistimos no clássico dos anos 80, De Volta Para o Futuro.

Chien_zpsjcy8uurf

 

E você, leitor? O que acha da idéia? Deixe seu comentário aqui!


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Menu Title