Conheça as 3 grandes tendências em gestão de dados para os próximos anos

banner

No mundo da era digital, uso da internet e da ascensão das vendas online, a informação digital é um fator poderoso no mercado atual.

Nesse cenário se torna cada vez mais importante as empresas investirem na gestão de dados.

Isso porque diariamente as empresas recebem todo tipo de dado e informação, de fontes variadas e de dispositivos diferentes.

Por isso, a empresa precisa gerir as informações que recebe e que fornece, para garantir a segurança e privacidade dos dados.

 

Mas afinal, o que é de fato a Gestão de Dados?

Gestão de dados é um disciplina que se relaciona com o campo dos negócios, que tem como objetivo gerenciar e administrar os dados das empresas.

Ela se utiliza de processos, profissionais, metodologias e ferramentas para conduzir os as informações.

Todos os dados das empresas devem ser considerados como recursos valiosos, pois elas geram valor e conhecimento para a empresa, além de auxiliar na tomada de decisões estratégicas.

De forma resumida, a gestão de dados confere a identificação, armazenamento, acesso, compilação e proteção de qualquer informação que perpassa pela empresa, seja ela interna ou externa.

 

Qual a importância da gestão de dados para a empresa?

É importante ressaltar que a gestão de dados deve ser implementada em todos os tipos de empresas, desde as de grande porte até para os pequenos negócios.

Isso também se aplica ao nicho de mercado: sejam e-commerces, multinacionais, consultorias, agências, indústria,etc.

A gestão de dados é importante porque repassa por todos os pontos de uma empresa, sendo relevante para a comunicação interna e também para o pós-venda.

Por exemplo, uma gestão de dados estruturada propicia uma comunicação interna eficaz entre todos os departamentos da empresa, pois pode-se compartilhar dados.

Com os dados estruturados e bem-definidos, todo o time está informado sobre os status dos clientes.

Isso auxilia o time de cobrança, que consegue garantir os pagamentos e geração de boletos e também auxilia a equipe de relacionamento com o cliente, que pode ser efetivo na fidelização de um consumidor.

Além de tudo, a gestão de dados garante principalmente a segurança e proteção das informações da empresa.

 

3 tendências para gestão de dados para os próximos anos

 

Com o avanço da pandemia do Coronavírus, muitas empresas se encontram com uma nova realidade: funcionário em home office.

Com isso, o setor de TI das empresas precisou redobrar o cuidado com a proteção de dados e das redes internas das empresas.

E nesse novo contexto, houve um aumento de ciberataques. De acordo com dados da Fortinet, o Brasil sofreu mais de 3,4 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos entre janeiro e setembro de 2020.

Além disso, com o modelo home office, também foi identificado a relação produtividade x tecnologia como relação de apoio entre esses dois fatores. Afinal, nem tudo tem de ruim com a tecnologia.

Assim, novas tendências se desenvolveram para garantir a gestão eficaz dos dados.

 

#1 First party data

 

A privacidade dos dados é um tema muito debatido e constantemente levantado. E esse ponto gera opiniões diferentes entre empresa e indivíduo.

E trazendo a tona essa tendência, o “First Party Data” (ou, em Português “Dado Próprio”) é justamente essa coleta de dados respeitando os preceitos da privacidade e a opinião do usuário.

Assim, é possível saber como o dado foi coletado, para qual finalidade, qual será o tempo de armazenagem, entre outros pontos.

 

#2 Mercado de Contêineres

 

Uma grande tendência para as empresas é o uso de contêineres por sua agilidade e rapidez.

Ao usar contêineres para tornar seus aplicativos nativos na nuvem, as empresas podem melhorar a escalabilidade e o desempenho.

Esse novo mercado é capaz de mover os dados com mais facilidade entre diferentes nuvens, ajudando-as a acelerar suas iniciativas de transformação digital.

 

#3 Gerenciamento Inteligente de Dados de Endpoints

 

Um ponto desafiador do home office para as empresas é o fato delas não terem o controle da proteção de dados e outros aspectos de gerenciamento de dados se comparado a quando os funcionários conectam seus laptops à rede corporativa de seus escritórios.

Com o aumento dos ataques cibernéticos, empresas estão adotando regulamentos de privacidade de dados mais rígidos.

Dessa forma, é provável que as empresas implantem soluções que permitam proteger, controlar e gerenciar de forma inteligente os dados nos laptops de seus funcionários, assim como outros endpoints.

Assim, é possível detectar comportamentos destoantes, indicando um ataque de ransomware ou informações privadas do cliente armazenadas em um lugar ou maneira que não deveria estar.

Com o conhecimento prévio, as empresas podem se antecipar e agir contra as ameaças.

 

Conclusão

 

A gestão de dados é um ponto de atenção para pequenas, médias e grandes empresas. Elas devem se atentar e valorizar seus dados, pois estes são recursos poderosos para a tomada de decisão.

Tanto para fatores internos como externos, a gestão de dados promove dados estruturados e expostos de forma real e atualizada.

A proteção dessas informações também deve ser um fator relevante, para garantir a segurança dos funcionários, clientes e informações confidenciais.

Com a transformação digital e a rapidez com que as coisas evoluem, as empresas precisam acompanhar as tendências do mercado para saberem como conduzir e adaptar essa realidade no seu negócio.

Dentro desse contexto inovador, as empresas têm oportunidades diversas de modernização, por exemplo: abertura de bancos digitais, proteção de dados com a interferência da tecnologia, soluções de pagamentos pelos modos tradicionais e também com a novidade do Pix, oferecerem soluções e softwares de proteção interna e entre outros.

 

As opções são diversas e cada empresa pode avaliar o que é válido para seu modelo de negócio.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Menu Title